O espaço de opção global para a agricultura biológica é delimitado pela disponibilidade de azoto.

A agricultura biológica é amplamente aceita como uma estratégia para reduzir os impactos ambientais da produção de alimentos e ajudar a alcançar metas globais de clima e biodiversidade. No entanto, estudos concluindo que a agricultura biológica poderia satisfazer a procura global de alimentos negligenciaram o papel fundamental que o azoto desempenha na sustentação do rendimento das colheitas. Usando uma otimização biofísica espacialmente explícita, o modelo que considera as necessidades de azoto do crescimento da cultura, mostramos que na ausência de fertilizantes de azoto sintético, a lacuna de produção entre a agricultura biológica e convencional aumenta à medida que a agricultura biológica se expande globalmente (produzindo 36% menos alimentos para consumo humano do que os convencionais num mundo totalmente biológico). Entretanto, ao direcionar o abastecimento de alimentos (por meio de um redesenho do setor pecuário) e da procura (por meio da redução da ingestão calórica média per capita), políticas públicas poderiam apoiar uma transição para a agricultura biológica em 40-60% da área agrícola global, mesmo sob as atuais limitações de azoto, ajudando a alcançar os tão importantes benefícios ambientais e de saúde.

Leia mais aqui sobre este resumo do artigo ‘Global option space for organic agriculture is delimited by nitrogen availability’

Última atualização porem ProBioMadeira em 29 de Maio, 2021
319
Gostou do artigo?0000