A importância da Agrodiversidade na Agricultura Biológica

Agricultura Biológica

É um sistema de produção holístico, que promove e melhora a saúde do agrossistema (ecossistema agrícola), ao fomentar a agrodiversidade (biodiversidade), os ciclos biológicos e a actividade biológica do solo. Privilegia o uso de boas práticas de gestão da exploração agrícola, em lugar do recurso a factores de produção externos, tendo em conta que as culturas (os sistemas de produção) devem ser adaptada(o)s às condições locais e contribuir para sustentabilidade das regiões. Isto é conseguido, sempre que possível, através do uso de métodos culturais, biológicos e mecânicos em detrimento da utilização de materiais sintéticos (FAO, 1999).

A agricultura biológica é um sistema global e integrado de produção agrícola, que promove o uso sustentado dos agrossistemas, e dos seus recursos endógenos (agrodiversidade), fomentando a conservação, atividade biológica e produtividade do solo.
O modo de produção biológico (MPB) privilegia uma agrodiversidade etnográfica baseada nas boas práticas de gestão da exploração agrícola, reduzindo ou eliminando o recurso a fatores de produção externos e promovendo a inovação e adaptação dos sistemas de produção às condições agroecológicas locais.
Esta inovação/adaptação é conseguida através da utilização de culturas não tradicionais, variedades locais, práticas culturais tradicionais, e métodos biológicos e mecânicos, optimização de processos e procedimentos na exploração, garantindo a produção local de produtos de qualidade que satisfaçam as necessidades, o bem-estar e os anseios dos produtores e consumidores.

 

Agrodiversidade

É um conceito que procura espelhar a complexidade de interacções que, se estabelecem nos sistemas de produção de alimento, e inclui 4 componentes:

  • Diversidade biofísica, que inclui os agrossistemas e as suas interacções abióticas;
  • Diversidade agronómica, que inclui a diversidade de espécies agrícolas e pecuárias;
  • Diversidade biológica, que inclui a diversidade de espécies não produtivas;
  • Diversidade etnográfica constituída de conhecimentos, práticas e tradições associadas à actividade e às culturas agrícolas.

 

Agricultura Biológica

Caracteriza-se pela sua capacidade de:
Realizar culturas adaptadas às condições agroecológicas locais, utilizando recursos endógenos e práticas culturais que promovem a produtividade das explorações e qualidade das produções.

A Agricultura e dos Produtores Biológicos alcançam esses objectivos, através da sua capacidade de inovação, verificando os pressupostos do MPB. Esta inovação pode realizar-se ao nível da(o)s:

  • Culturas e da agrodiversidade;
  • Processos realizados na exploração e no pós-colheita.

Agricultura biológica, agrodiversidade e inovação
A inovação na agricultura biológica, envolvendo a agrodiversidade deve ter em atenção, o facto deste ter sofrido um intenso processo de erosão e extinção, nos últimos 100 anos, devido à
substituição das produções e produtos locais por alimentos exóticos.

  • 7.000 espécies domesticadas (Hammer)
  • 2.000 espécies cultivadas regularmente (Meyer)

Agricultura biológica, agrodiversidade e inovação
A inovação na agricultura biológica, com recurso à agrodiversidade deve tirar partido da:

  • Agrodiversidade biofísica, o que envolve a diversidade de condições agroecológicas;
  • Agrodiversidade agrónomica, o que envolve a diversidade de culturas e variedades locais.

continua na pág. 8 do PDF – ISOPlexis.MAC17.3_PROBIOMADEIRA-ABioAgrodiversidade071119

 

Miguel Ângelo Almeida Pinheiro de Carvalho

Universidade da Madeira, 07 novembro 2019

Última atualização poradmina em 7 de Outubro, 2020
85
Gostou do artigo?0000

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *